Vias de administração dos fármacos: parenteral na veterinária

As vias de administração parenteral mais comuns são as intravenosas (IV), intramuscular (IM) e a subcutânea (SC).

Como administrar a via intravenosa?
A via intravenosa permite que os efeitos dos medicamentos sejam obtidos mais rapidamente. Além disso, é possível administrar um grande volume de determinada medicação, lentamente e de algumas substâncias que são irritantes, devidamente diluídas.

É muito usada na rotina veterinária, mas tem algumas desvantagens como o risco de contaminação, de embolias e não pode ser usada substância oleosa ou insolúvel. Em bovinos a veia jugular é a mais utilizada, já cães e gatos a veia femoral e radiam são as mais comuns.
A administração via intramuscular

Outra maneira de administração parenteral frequentemente utilizada é a intramuscular. A absorção é relativamente rápida e aceita a administração de substância aquosa ou oleosa, mas em doses moderadas.

O animal sente dor e algumas vezes apresenta irritação no local da aplicação. Em pequenos animais o local mais comum para aplicação é o músculo da cocha e em grandes animais, além do músculo da coxa é comum usar a tabua do pescoço para essa aplicação.

Como funciona na via Subcutânea?
A via subcutânea é a de absorção mais lenta dessas citadas. Algumas vacinas usadas na rotina veterinária são administradas apenas por essa via. O animal pode sentir dor e é necessário ter cuidado com a administração de substâncias irritante.
Outra via parenteral menos utilizada é a intradermal que é usada para diagnóstico. A via intraperitoneal é usada para administração de grandes quantidades de solução. A absorção é rápida e é usada para diálise peritoneal. A via epidural é usada para administração de anestésicos e a intra-articular quando o efeito anti-inflamatório necessário é localizado.
Como funciona na via tópica?

Não podemos esquecer, é claro, da via tópica. O uso de pomadas, pour on é muito frequente nos animais. Grande parte dos produtos tópicos é usada quando o que se quer é um efeito localizado, mas algumas substâncias, com gorduras ou solventes de gorduras em sua formulação, conseguem ser absorvida. Isso é comumente utilizado em medicamentos para controle de ectoparasitas.
O “Pour on” é utilizado para controle de ectoparasitas em pequenos e grandes animais. Costuma ser aplicado no dorso do animal e muitas vezes têm em sua fórmula a presença de piretróides dissolvidos em um veículo oleoso que se difunde pela camada gordurosa agindo por toda epiderme. É uma via tópica que pode atingir resultados sistêmicos, dependendo de sua fórmula.
A via inalatória é menos usada na medicina veterinária, sendo mais comum em anestesia inalatória.
A via intramamaria é frequentemente utilizada em tratamento da glândula mamaria e muito comum na medicina de grandes animais. A cânula da seringa de medicamento é colocada na ponta do teto e posteriormente massagear fazendo movimentos de baixo para cima.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.  

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema